O psicólogo acolhe ou julga uma pessoa?

O que está por trás de uma psicoterapia? Talvez você não tenha o menor interesse em saber, mas o fato é que talvez inconscientemente você tenha uma ideia formada acerca do serviço profissional do psicólogo.

Não irei citar aqui nem o aspecto “místico” que por vezes ainda está no imaginário coletivo das pessoas. Frases como: “Ah, tu é psicólogo? Então tu deve saber muito bem…”. Dentre outras como: “Eu vim aqui para ouvir um conselho”.

Quero enfatizar nessa breve dissertação, um receio que talvez seja o seu ao buscar a ajuda de um profissional de psicologia: o receio do julgamento.

Dentre os deveres dessa bela profissão chamada psicologia, o julgamento com certeza passa longe, passa bem longe!

É claro, que não posso afirmar que isso não aconteça, pois o que mais existe por aí, não apenas na psicologia, são profissionais sem ética.

Bom, tirando esse joio do meio do trigo, temos com certeza um número bem maior de profissionais éticos que em vez de julgar, irão acolher.

O princípio fundamental de todo processo terapêutico é o estabelecimento da confiança. Esse vínculo terapêutico é importantíssimo para o resultado da psicoterapia.

Todo psicólogo sabe disso. Por isso, você, que talvez seja um paciente em potencial de algum psicólogo deva saber disso: o profissional irá acolher você. O nome da ciência é psicologia e não “julgologia”.

Muitas pessoas ainda possuem esse receio de procurar um psicólogo pois acham que serão julgadas durante as sessões. Esse é um equívoco! Você não será julgado por nada. Nós, psicólogos, não somos juízes, nem advogados.

Por isso, se o que tem impedido você de procurar a ajuda de um psicólogo for o receio de ser julgado, condenado, por suas atitudes, por suas fraquezas, por seus atos, saiba de uma coisa: o psicólogo não emitirá um julgamento sobre você, o psicólogo promoverá um ambiente de acolhimento para você.

Facebook Comments